21 de novembro de 2015

Grutera amadurece no Alentejo

Sur lie é um processo de envelhecimento do vinho, com o objetivo de desenvolver ainda mais a sua estrutura, corpo, complexidade aromática, profundidade e sabor. Quer isto dizer que Grutera está a amadurecer?

A verdade é que, depois de um primeiro disco na segurança do estúdio e de um segundo abençoado num mosteiro, o músico instalou-se com a sua guitarra no Túnel das Barricas da Herdade do Esporão para gravar o terceiro álbum, inspirado pela arte vinícola e pela planície alentejana.


Tudo começou quando o guitarrista e Vasco Durão, responsável pelo projeto Guitarras ao Alto, se conheceram no início do ano. Grutera andava à procura de um espaço diferente para dar voz à dimensão da sua nova música e Vasco desafiou-o a experimentar uma adega alentejana.

A opção pelo Esporão foi natural. O Túnel das Barricas, onde nunca antes se tinha gravado um disco, é um espaço mágico, ou, como diz Grutera, “cada segundo é mais intenso aqui”. Uma intensidade que encontrou paralelo na vontade do Esporão em apostar em ideias diferenciadoras e de fazer da sua Herdade um ponto de encontro único entre cultura e enoturismo. 

Na madrugada de 27 para 28 de junho, a doze metros de profundidade, a guitarra de Grutera absorveu a textura e o aroma da adega e fez eco pelo Alentejo fora. Para a história fica “Sur lie”, produzido e masterizado por Diogo e Tiago Simão, com fotografia de Leonor Fonseca e design de Ana Gil. “Sur lie” saiu para o mundo a 1 de novembro, disponível em todas as plataformas digitais. 

Nota de prova: para desfrutar de toda a intensidade de Sur lie, aconselha-se um horizonte largo nos olhos e um copo de vinho Esporão na mão.

[Comunicado de imprensa]

Sem comentários:

Enviar um comentário